Publicado por: ricardonogueira | Abril 18, 2009

O regresso

ok

A pedido de varias familias cá estou eu de novo…

Publicado por: ricardonogueira | Julho 14, 2008

IVG – 1 Ano Depois

Eis uma noticia que me despertou a atenção…
Seria bom olharmos sériamente para estes estudos. Permitam-me destacar dois aspectos que acho importantissimos salientar, o primeiro é bastante negativo, 70% das mulheres que recorreram à interrupçao voluntaria da gravidez nunca tinham ouvido falar em planeamento familiar ou em métodos contraceptivos. Sim leram bem sao mesmo 70%.
Por outro lado é bom saber que os casos de aborto clandestino registados foram só dois,muito abaixo de valores anteriores…
Uma boa noticia
Aborto. Lei entrou em vigor há um ano
Setenta por cento das mulheres que recorreram à interrupção voluntária da gravidez (IVG) entre Julho e Dezembro de 2007, o primeiro semestre após a entrada em vigor da nova lei, não tinham ouvido falar de planeamento familiar nem de métodos contraceptivos. Esta é uma das principais conclusões de um estudo feito pela Direcção-Geral de Saúde (DGS), divulgado recentemente.

Feito o diagnóstico, a resposta da tutela foi célere e Francisco George, em entrevista à Lusa, reconheceu a existência de problemas na organização dos serviços de planeamento familiar e anunciou novas medidas.

Assim, os serviços de saúde pública vão alargar a distribuição gratuita de pílulas e preservativos em quantidade para fazer a contracepção até um ano, bem como facilitar a sua entrega, dispensando de consulta médica os utentes que tiveram ido ao médico no último ano. O director-geral da Saúde adiantou ainda que a entrega dos anticoncepcionais poderá realizar-se através de terceiros. Através desta medida simples, Francisco George acredita que “vai melhorar muito a situação”.

Outra realidade que foi radicalmente alterada com a entrada em vigor da nova lei da IVG prende-se com a quantidade de infecções e perfurações de órgãos associadas ao aborto clandestino. No primeiro semestre de 2007, registaram-se 23 infecções muito graves e 11 perfurações de órgãos associadas à prática do aborto clandestino, revelou Francisco George. Números que diminuíram para menos de metade no segundo semestre. Desde 15 de Julho, a Direcção- -Geral da Saúde registou apenas dois casos de prática de aborto clandestino, um dos quais está a ser investigado pelo Ministério Público.|

Fonte: DN
Publicado por: ricardonogueira | Julho 12, 2008

o pricipezinho

 

Hoje proponho que olhemos para o principezinho. Sem duvida uma bela história e que nos faz pensar.

Por vezes o mundo dos adultos torna-se muito complicado e nao damos o verdadeiro valor às coisas. O pequeno principe faz-nos olhar o nosso mundo de outra forma. “so se vê bem com o coração, o essencial é invisivel para os olhos”. a amizade é um dos bens mais preciosos e por vezes nao lhe damos o verdadeiro valor.

Este artigo é para todos os amigos que como o pricipezinho cativei e me cativaram…

 

 

 

…Julgava-me muito rico por ter uma flor única no mundo e, afinal só tenho uma rosa vulgar…

Foi então que apareceu uma raposa .

– Olá, bom dia! disse a raposa.

– Olá, bom dia! – Respondeu delicadamente o principezinho…

-Anda brincar comigo – pediu o principezinho. Estou tão triste…

– Não posso ir brincar contigo – disse a raposa. – Ainda ninguém me cativou…

Andas à procura de galinhas? (diz a raposa)

Não… Ando à procura de amigos. O que é que “cativar” quer dizer?

… Quer dizer que se está ligado a alguém, que se criaram laços com alguém.

Laços?

Sim, laços – disse a raposa. – …

Eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo e eu serei para ti, única no mundo…

(raposa) Tenho uma vida terrivelmente monótona…

Mas se tu me cativares, a minha vida fica cheia se Sol.

Estás a ver, ali adiante, aqueles campos de trigo? … não me fazem lembrar de nada. É uma triste coisa! Mas os teus cabelos são da cor do ouro. Então quando eu estiver cativada por ti, vai ser maravilhoso! Como o trigo é dourado, há-de fazer-me lembrar de ti…

– Só conhecemos as coisas que cativamos – disse a raposa. – Os homens, agora já não tem tempo para conhecer nada. Compram as coisas feitas nos vendedores. Mas como não há vendedores de amigos, os homens já não tem amigos. Se queres um amigo, cativa-me!

E o que é preciso fazer? – Perguntou o principezinho.

– É preciso ter muita paciência. Primeiro, sentas-te um bocadinho afastado de mim, assim em cima da relva. Eu olho para ti pelo canto do olho e tu não dizes nada . A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas todos os dias te podes sentar mais perto…

Se vieres sempre ás quatro horas, ás três já eu começo a ser feliz…

Foi assim que o principezinho cativou a raposa. E quando chegou a hora da despedida:

– Ai! – exclamou a raposa – Ai que me vou pôr a chorar…

… Então não ganhaste nada com isso!

– Ai isso é que ganhei! – disse a raposa. – Por causa da cor do trigo…

Depois acrescentou:

– Anda vai ver outra vez as rosas. Vais perceber que a tua é única no mundo.

O principezinho lá foi… – vocês não são nada disse-lhes ele. – Não há ninguém preso a vocês… – não se pode morrer por vocês…

… A minha rosa sozinha. vale mais do que vocês todas juntas, porque foi a ela que eu reguei, que eu abriguei… Porque foi a ela que eu ouvi queixar-se, gabar-se e até, ás vezes calar-se. Porque ela é a minha rosa.

E então voltou para ao pé da raposa e disse:

– Adeus…

– Adeus – disse a raposa. – vou-te contar o tal segredo. É muito simples:

Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos…

Foi o tempo que tu perdeste com a tua rosa que tornou a tua rosa tão importante.

– Os homens já se esqueceram desta verdade – disse a raposa. Mas tu não te deves esquecer dela.

Ficas responsável para todo o sempre por aquilo que está preso a ti. Tu és responsável pela tua rosa

Publicado por: ricardonogueira | Junho 27, 2008

Agrupamento Vertical de Escolas do Cerco

Um “novo” olhar sobre o Agrupamento Vertical de Escolas do Cerco. Trabalho de observaçao para a disciplina de Educaçao Social 1º ano.

 

 

 

É bom voltar onde ja fomos felizes…

Publicado por: ricardonogueira | Junho 23, 2008

Um olhar sobre a violencia na escola

Extrato de uma entrevista ao presidente do Observatório Internacional para a Violencia Escolar

Origens e causas da violência escolar

O que está na origem da violência escolar?
Não há uma causa, mas muitas que estão ligadas. A escola, a família, a comunidade… Sabemos que se os pais forem muito disciplinadores, que inflijam castigos corporais, pode haver mais violência; mas o contrário também pode dar origem a violência, ou seja, se os pais não exercerem qualquer controlo. O modo como se educa pode ser uma das explicações, mas não é a única. Não se pode falar de determinismo.
Há novas formas de violência escolar?
O cyberbullying é um problema novo, ainda não há dados quantitativos, mas muitos inquéritos revelam que há um aumento. É o mesmo problema que o bullying, o meio usado é que é diferente.
Quem são as vítimas?
São os alunos, sobretudo rapazes, vítimas de violência física; há menos vítimas do sexo feminino e a forma de violência exercida é condená-las ao ostracismo. Não posso dizer que seja pior, porque a violência física é acompanhada de violência verbal. As consequências são muito importantes: o absentismo, maus resultados escolares, falta de auto-estima, por vezes, sentimentos de culpa.
No futuro, as vítimas podem tornar-se agressoras?
A maior parte das vítimas não se tornam agressoras. Mas acontece. O risco é que reproduzam esses comportamentos com os seus próprios filhos. Sabemos que 80 por cento dos casos dos autores de massacres nos EUA foram vítimas de bullying.

 

fonte: jornal Público

para ler entrvista completa aqui fica o link

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1333216

Publicado por: ricardonogueira | Junho 11, 2008

O primeiro olhar!!

Hoje resolvi criar um blog…

Pronto tá feito…

🙂

Pretendo com este blog expressar-me de forma livre falando dos mais variados temas, por isso tambem o próprio nome do blog “olhares”.

Aqui vai ficar o meu olhar sobre o mundo, sobre as coisas…

Este aqui é o meu primeiro olhar.  

Espero pelos vossos…

 

Categorias